Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Para quem e pelo o que escrever? A importância do ócio

É preciso escrever...
Não por uma missão ou por fama. Mas por vontade e critério. Não basta escrever por escrever.
O mundo é complicado, um emaranhado de redes, conexões há descobrir, desvendar... E para quem escrever? Para nós mesmos? Para revelar as nossas ideias, revolta, anseios, desejos para o resto do mundo? E se a partir da publicação aquela ideia já não é sua?
Infinitos ses... Infinitas impossibilidades que podem nos impedir de escrever.



(Pintura Décalcomanie de René Magrite)

No cotidiano essas reflexões nos escapam, o automatismo nos inquire, a sociedade nos convida a entrar nas engrenagens, nem sempre temos tempo para nós mesmos. E se não temos tempo de ócio, como refletir, como escrever, como se lançar nos braços da leitura e também ler nossa própria escrita? Como lançar-se no mar que nossos pensamentos guardam? Como lançar-se nos abismos de nossa mente? Somos meras peças numa máquina, esperando pelos finais de semana, dormindo mal, ficando sobrecarregados de informações, …

Últimas postagens

Miniconto "Elixir da longa vida: um mito da descoberta do café"

Divagação sobre a existência humana: a constante luta contra a entropia

Análise do conto "Os irmãos Dagobé" de Guimarães Rosa

Devendo tempo - resenhas de "Rubem Fonseca" e 96 respostas sobre AIDS

Crônica "O Mato" de Rubem Braga

Registro de animes (opiniões)

Retalhos de devaneios madrugadores

A educação, a existência e o ser humano: resenhas de Grito de Guerra da mãe tigre e A Peste

Carpe diem: somos poeira e sombras